Ergonomia

0

O grande trabalho é do amor
sem bronzes, sem assinaturas,
no ar do espaço, na hora do tempo,
pólen de Deus nas criaturas,

a palavra quase sem eco
a injetar humos no deserto,

mãos de franciscos, de terezas,
que repartem, ocultamente,
suas migalhas sob as mesas,

ou energia sem fronteiras,
que acende todas as estrelas.

ERGONOMIA
Poema de Alberto da Cunha Melo.
dedicado ao ergonomista Norberto Loureiro
Do livro “Meditação sob os Lajedos”
In: Poesia Completa. Em breve pela Editora Record

Compartilhar.

Powered by themekiller.com